Fala Sério Emilly!

Aqui estão registros das minhas aventuras e dos meus aprendizados ao longo desses 20 anos.

A música cria conexões

Um ukulele que eu tinha e fiz o favor de vender :)


Não se pode negar que um dos papeis fundamentais que a arte nos proporciona é criar conexões e isso é uma das coisas mais incríveis que eu admiro nela. A arte que falo hoje é a música, algo que está todos os dias com a gente mesmo que indiretamente. Até as pessoas que não são tanto de escutar música (como no meu caso) é influenciado de alguma forma por ela.

Comecei a ouvir música quando eu estava na sexta série. Digo ouvir música no sentido de saber quem eram os cantores favoritos ou bandas favoritas.  Foi naquela época que eu comecei a definir o meu gosto músical, ou a pelo menos a iniciar a busca pelo estilo favorito. 

Minha primeira cantora favorita foi a Avril Lavigne e foi por causa de uma paixão de criança. Um garoto da sala gostava dessa cantora e eu fui procurar o nome e me identifiquei com o estilo dela. Achava maneiro a gravata e queria muito usar no meu dia-a-dia. Outra cantora favorita era a Amy Lee (da banda Evanescence), conheci uma das músicas dela em um livro de literatura da minha prima e foi aí que eu comecei a gostar do tal estilo gótico. Eu estava bem dividida entre o estilo skatista da Avril e o gótico de Evanescence.

E foi assim por longos anos. Uma parte triste é que eu falava mal de outros estilos de música e as famosas "boyband", especificamente One Direction. A coisa mais legal de ficar mais velho é que você passa a amadurecer seus pensamentos e opiniões sobre as coisas, a gente muda e muito. Anos depois e eu me via ouvindo as tais músicas do 1D.

Após os anos de ouvir as músicas internacionais, eu sentia falta de ouvir as músicas nacionais. E pra mim, naquela época, não existiam músicas legais no Brasil. Mais uma vez, eu achava que era apenas funk, pagode, samba e forró. É óbvio que eu estava completamente enganada!

Foi aí que eu conheci uma pessoa que me apresentou as diversas músicas que eram produzidas aqui no Brasil, desde as mais antigas até as atuais. E então passei a escutar mais músicas do nosso querido Brasil. Hoje em dia não converso mais com a pessoa, mas do tempo que conversamos levo comigo essa influência que eu tive dessa pessoa. 

O tempo passa e conheço mais pessoas que também são apaixonadas por música e mais uma vez a música cria conexões. E digo que a música passou a estar mais presente na minha vida, hoje em dia amo ouvir algo que ainda não conhecia.

E a vida vai seguindo assim: a arte criando conexões entre as pessoas e mudando pensamentos. 

Abaixo segue uma playlist das músicas que conheci ao longo desses anos:


Como eu não poderia deixar de divulgar aqui o trabalho de um amigo muito querido que me apresenta umas músicas maravilhosas.

Comments

back to top